Sente-se menos, movimente-se mais

Parece surgir na ciência um novo parâmetro a definir nosso risco futuro de doenças cardiovasculares e diabetes mellitus:

o tempo de sedentarismo.

A revista Circulation com apoio da Obesity Society, em agosto de 2016 fez uma publicação chamando a atenção para este novo cenário: não mais somente a ausência de atividades físicas de moderada a alta intensidade são um risco importante à saúde, como também o tempo de sedentarismo.

O tempo de sedentarismo é aquele com ausência de movimentos de grandes grupos musculares. Estima-se que em atividades como sentar-se, assistir TV e usar o computador, adultos gastem em média 6 a 8 horas por dia.

Já existem evidências que este comportamento pode contribuir para o aumento da morbidade e mortalidade, porém ainda não se tem dados suficientes para indicar diretrizes quantitativas, ou seja, ainda não sabemos exatamente qual o tempo de sedentarismo é bem tolerado por nosso corpo.

Enquanto isso, fica aqui o conselho: movimente-se mais!

Grande abraço!

Comentários encerrados.