Obesidade: Não se acostume com o mal

No dia a dia do consultório vejo que muitas pessoas vem convivendo com situações de saúde indesejáveis, mas por algum motivo não encontram a força necessária para sair daquela situação.

 

Costumo ver a obesidade e outras doenças crônicas como um grande elefante que invade a  vida e se senta em cima da pessoa. Ela tenta achar alguma saída mas não encontra forças. Talvez o que precisa ser visto é que, não é que o elefante é grande, é que a pessoa ficou pequena.

 

É isso, os obstáculos sempre estarão por aí. As dificuldades sempre procuram brechas para se instalar na nossa vida. Mas precisamos vigiar e não deixar que isso aconteça. Tudo começa pequeno e vai crescendo. Vai crescendo pois não é visto, ou não recebe  devida importância.

 

E então um dia alguém acorda e está com 40 kg a mais. Desenvolvendo diabetes hipertensão, apnéia do sono. E nem viu isso acontecer.

 

Hoje a obesidade está crescendo assustadoramente. Esta tendência afeta a todos nós já que mais de 50% de nossa população tem sobrepeso e 76% tem pelo menos excesso de gordura. E me parece que muito poucas pessoas estão satisfeitas com isso.

 

Precisamos mudar nossa postura e começar a correr ativamente atrás de nossos objetivos. Do que representa o nosso futuro: evolução pregresso, saúde, superação.

 

Aprender, pesquisar, mudar hábitos, procurar ajuda, explorar dificuldades, prestar atenção, auto-conhecer-se. Ter paciência com detalhes. Ter gentileza consigo mesmo. Ter tolerância com os próprios erros e desvios. O mais belo de tudo isso é que, este é o caminho da humanidade, na conquista de qualquer objetivo: nossa transformação e aquisição de qualidades humanas.

 

A assim aos poucos, com muito respeito pelo ‘elefante’, vamos descobrindo possibilidades e aumentando nossa força interna para agir. Fazendo a nossa parte e procurando a ajuda certa.

 

Decisão, urgência e coragem. Sua vida precisa de você.

 

Um abraço carinhoso!

Comentários encerrados.